Começam as inscrições para o Prouni

Começam as inscrições para o Prouni

Começam nesta terça-feira (12) as inscrições para as 162 mil bolsas ofertadas pelo programa universidade de todos (Prouni). Neste ano, devido ao adiamento da aplicação do exame nacional do ensino médio (Enem), as notas utilizadas serão referentes à prova de 2019.

Os candidatos devem se inscrever através da página do Prouni (http://prouniportal.mec.gov.br/) até sexta-feira (15), às 23h59, quando o sistema será fechado. O resultado da primeira chamada será divulgado ainda neste mês, no dia 19 de janeiro, já a segunda chamada será divulgada em 1º de fevereiro.

O programa, que oferece bolsas de estudo integrais e parciais, possibilita o acesso a vagas em universidades particulares e é destinado a quem não tem diploma de graduação. Para se inscrever é necessário validar os dados de cadastro no portal de serviços do governo federal e seguir para o site oficial do Prouni.

Os candidatos podem escolher até duas opções de cursos e fazer alterações durante todo o período de inscrição. Diariamente, o sistema do Prouni calcula a nota de corte – menor nota para ficar entre os potencialmente pré-selecionados – de cada curso, com base no número de bolsas disponíveis e no total de candidatos inscritos no curso, por modalidade de concorrência.

Caso não seja convocado nas duas chamadas, há ainda a possibilidade de concorrer a uma bolsa pela lista de espera. Para participar, o candidato deve acessar a página de inscrição nos dias 18 e 19 de janeiro e manifestar o interesse em participar desta última etapa. Este resultado será divulgado no dia 22 de fevereiro.

A seleção para o 2º semestre também contemplará os estudantes que realizarão o Enem 2021, que ocorrerá nos dias 17 e 24 de janeiro.

Critérios
Para concorrer às bolsas integrais, o estudante deve comprovar renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até 1,5 salário mínimo. Para as bolsas parciais, de 50%, a renda familiar bruta mensal deve ser de até 3 salários mínimos por pessoa.

O candidato também precisa ter realizado a edição do ano de 2019 do Enem e ter alcançado, no mínimo, 450 pontos de média das notas. O estudante não pode ter zerado a redação.

Além disso, é preciso atender ao menos a uma das seguintes condições:

Ter cursado o ensino médio completo em escola da rede pública ou em escola da rede privada, desde que na condição de bolsista integral desta última. Ser pessoa com deficiência.

Ser professor da rede pública de ensino, da educação básica – neste caso não é aplicado o limite de renda exigido aos demais.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre em contato!