cliente

Funcionário de loja de departamentos suspeito de gravar cliente no provador

Uma cliente foi à polícia dizendo que foi gravada com um celular pelo funcionário de uma loja de departamentos de um shopping de Sorocaba enquanto provava roupas.

Isabella Pacheco, de 19 anos disse que ainda não acredita no aconteceu. Ela conta que escutou um barulho na porta do provador e que, quando percebeu que estava sendo filmada, tentou pegar o celular do suspeito, mas não conseguiu.

Segundo a estudante, a mãe chamou a polícia militar, que foi até a loja, mas, os policiais decidiram não prender o suspeito. A jovem postou um vídeo nas redes sociais pra alertar outras pessoas. A publicação foi vista por mais de trinta mil pessoas até agora. 



Por meio de nota, a loja de departamento lamentou o ocorrido e disse que rejeita qualquer ação que não respeite a privacidade. Ainda informou que o colaborador envolvido neste caso não faz mais parte da empresa.

Um boletim de ocorrência foi registrado. Na tarde desta quinta-feira (09), a delegada da delegacia da mulher de Sorocaba ouviu a vítima, a responsável pela loja e o suspeito por fazer a gravação no provador de roupas do estabelecimento.

O jovem de 19 anos confessou ter gravado e fotografado até 8 mulheres no decorrer do período em que trabalhou no comércio. Os policiais que estiveram na loja durante ocorrência vão ser chamados pra prestarem esclarecimentos.

O celular do suspeito também foi apreendido e deve passar por perícia nos próximos dias, já que ele apagou todos os vestígios de fotos ou vídeos existentes no aparelho. O caso já vai ser encaminhado para o Fórum e ele vai responder na Justiça por produzir, fotografar, filmar conteúdo com cena de nudez ou ato sexual sem autorização dos participantes, com pena que vai de 6 meses a 1 ano de prisão.

Já a Polícia, em nota, informou que a vítima foi orientada sobre a necessidade de ir até a Delegacia da Mulher e registrar o que tinha acontecido. Segundo a PM, a jovem teria dito que iria fazer o boletim de ocorrência e, por esse motivo, a polícia militar não deu andamento à ocorrência

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre em contato!