Funcionários do SAMU reclamam de sobrecarga

Funcionários do SAMU reclamam de sobrecarga

A vereadora Fernanda Garcia (PSOL) oficiou a prefeitura municipal de Sorocaba, com questionamentos a respeito do serviço de atendimento móvel de urgência (SAMU). No documento, Fernanda destaca a defasagem na quantidade de profissionais e ainda pede esclarecimentos sobre os rumores de descentralização do serviço.

De acordo com os dados do portal da transparência, em janeiro de 2014, Sorocaba contava com 184 servidores lotados em funções da estrutura do serviço de atendimento móvel de urgência. Já em dezembro de 2020, o número total é de apenas 126 – queda que representa 32% do efetivo. Essa desestruturação do SAMU está fazendo com que a quantidade de motoristas, enfermeiros, técnicos de enfermagem, médicos e telefonistas fique deficitário em relação a demanda da cidade.

Fernanda também pediu esclarecimento a respeito da informação de que o governo municipal estuda a descentralização do serviço.

A Secretaria da Saúde de Sorocaba informou que a situação em que o Samu se encontra foi deixada pelas antigas gestões do poder executivo, e que já está agindo na solução dos problemas e para que o setor receba melhorias urgentes. A primeira solução, segundo a secretaria é a criação específica da carreira pública do condutor de urgência e emergência, que organizará as horas trabalhadas por esses servidores.

A segunda ação é a reposição do quadro de funcionários, que será feita por meio de concurso. Em relação à limpeza, a secretaria informa que a higienização segue todas as normas sanitárias vigentes. A administração defende ainda a descentralização do serviço para que o atendimento da população seja reduzindo para até 10 minutos.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre em contato!