Grávidas e puérperas receberão vacina da Coronavac e Pfizer

O Governador João Doria anunciou nesta quarta-feira (12) a retomada da vacinação contra COVID-19 das grávidas e puérperas (mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias) com comorbidades a partir da próxima segunda-feira (17).

A data de retomada foi definida graças ao remanejamento da vacinação e entrega de mais doses da vacina do Butantan ao Ministério da Saúde na manhã de hoje e à chegada de mais imunizantes da Pfizer a São Paulo.

No total, 100 mil gestantes e mulheres adultas (com 18 anos ou mais) que tiveram partos recentes poderão se vacinar com estes dois tipos de vacinas.

Inicialmente, a imunização deste público estava prevista para começar ontem (11), mas foi suspensa pelo Ministério da Saúde e pela Anvisa com as vacinas da Fiocruz/Astrazeneca especificamente para as mulheres com estes perfis. Os demais públicos seguem contando com este imunizante, que é seguro e eficaz.

O Governo Federal sinalizou que emitirá nota técnica com relação às gestantes que já receberam a primeira do imunizante.

As grávidas em qualquer período gestacional deverão também apresentar comprovante de acompanhamento e/ou pré-natal ou laudo médico. As puérperas podem utilizar a declaração de nascimento da criança.

Para ambos os casos, é necessário comprovar a comorbidade apresentando documentos de saúde como exames, receitas, relatório ou prescrição médica, bem como cadastros pré-existentes nas UBS (Unidades Básicas de Saúde).

Vacinação de 45 a 49 anos

Também foi anunciada a vacinação para pessoas com comorbidades e deficiências permanentes com idade entre 45 e 49 anos, que passam a fazer parte da campanha já na próxima semana.

A partir de 21 de maio, sexta-feira da semana que vem, serão vacinadas as pessoas com comorbidade na faixa etária entre 45 e 49 anos de idade. E também nesta mesma data, 21 de maio, começaremos a vacinação das pessoas com deficiência permanente na mesma faixa etária, de 45 a 49 anos. A expectativa é da imunização de 695 mil pessoas nesta faixa etária. Muito importante o trabalho de imunização das pessoas com comorbidade no Estado de são Paulo.

O número totaliza 670 mil pessoas que possuem doenças crônicas e 25 mil deficientes contemplados com o Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC).

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre em contato!