Qualidade de vida ajuda a prevenir o câncer

Qualidade de vida ajuda a prevenir o câncer

É possível identificar mais de 200 tipos diferentes de câncer, conforme aponta o Instituto Oncoguia. Eles podem acometer qualquer órgão do corpo humano, visto que seu desenvolvimento acontece a partir dos vários tipos de células. Para classificar a doença, leva-se em conta a localização primária do tumor.

Segundo a Dra. Luciana Buttros de Paula, médica oncologista clínica do Instituto de Oncologia de Sorocaba (IOS), “em geral, o câncer se trata do crescimento celular desordenado, muitas vezes acelerado, que faz com que essas células invadam os tecidos e os órgãos, podendo, ou não, apresentar metástase, isto é, espalhar-se para outras regiões do corpo”.

Atualmente, de acordo com a especialista, os tipos de câncer mais comuns e as expectativas de novos casos até o final de 2020, são, respectivamente: o câncer de pele não melanoma (177 mil), seguido dos cânceres de mama e próstata (66 mil), cólon e reto (41 mil), pulmão (30 mil) e estômago (1 mil).

Todos esses tipos podem ser fatais, se estiverem em estágios muito avançados e, para evitar que isso aconteça, é importante adotar medidas de prevenção, que são divididas em primárias e secundárias.

Dicas de prevenção
A prevenção primária está associada à mudança do estilo de vida, removendo causas e fatores de risco para evitar o desenvolvimento da doença. Dra. Luciana lista as principais orientações:

– Praticar regularmente atividades físicas;
– Seguir uma dieta balanceada e saudável;
– Proteger a pele da radiação ultravioleta natural e artificial;
– Proteger-se contra doenças sexualmente transmissíveis;
– Evitar e/ou cessar o tabagismo e o etilismo;
– Aderir aos hábitos saudáveis de vida em geral: sono adequado, combate ao estresse e à ansiedade, dentre outros.

Quanto às medidas de prevenção secundárias, elas estão relacionadas à detecção da doença em estágio inicial. Isso ocorre por meio dos exames de rastreamento, como: mamografia, ultrassom das mamas, exame de Papanicolau, PSA, toque retal, colonoscopia, dentre outros. “o ideal é que possamos evitar um câncer (prevenção primária), mas, quando isso não for possível, a detecção precoce possibilita chance bem maior de cura e aumento da sobrevida do paciente”, comenta a médica oncologista do IOS.

Somado a isso, é indicado sempre manter um acompanhamento médico regular e os exames e as vacinas em dia e, entendendo que os principais fatores de risco para o desenvolvimento de um câncer são o tabagismo, o etilismo crônico e a obesidade, pessoas pertencentes a esses grupos devem redobrar a atenção com sua saúde.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre em contato!