estacao ferroviaria de sorocaba

Estação ferroviária de Sorocaba está abandonada

De um lado abandono na ferrovia. Do outro o projeto do trem entre cidades.
Quem olha o que restou da ferrovia no brasil tem a nítida sensação de que as autoridades não dão a mínima para este modal de transporte. Em Sorocaba por exemplo são estações, vagões abandonados, linha férrea sem nenhuma manutenção toda coberta por mato e sujeira.

É uma contradição. De um lado tudo estragado, esquecido. Do outro o governo do estado trabalha para implantar o trem intercidades, que em um lado vai ligar a capital até campinas e de outro São Paulo a Sorocaba.
A concessão para a iniciativa privada das linhas 8 e 9 dos trens metropolitanos da companhia paulista de trens metropolitanos (CPTM), que ligam a estação Júlio Prestes a Itapevi e Osasco a Grajaú, na grande São Paulo, pode ser a saída para a viabilização do trem intercidades (TIC) entre São Paulo e Sorocaba, anunciado em 2012, mas que ainda não saiu do papel.

A informação partiu do secretário dos transportes metropolitanos, Alexandre Baldy, nas redes sociais. Em resposta a um internauta que o indagou sobre a prometida ligação ferroviária de passageiros entre Sorocaba e a capital, Baldy respondeu:

“Temos estudos sendo feitos com previsão de levar o trem de passageiros da linha 8 até Sorocaba na concessão que será colocada aos investidores privados”

Alexandre Baldy, Secretário dos Transportes Metropolitanos

A linha 8, ou diamante, que liga Júlio Prestes a Itapevi, é parte da antiga linha tronco da estrada de ferro sorocabana (EFS) e está inativa para passageiros a partir de Amador Bueno, um bairro na divisa com São Roque.

Em novembro do ano passado, o governo do estado publicou um aviso público de sondagem de mercado para a concessão conjunta das linhas 8 e 9 da CPTM.

Por esse instrumento, conforme o edital, a estatal paulista objetiva prover “subsídios técnicos, financeiros e jurídicos que poderão ser aproveitados pelo governo do estado de São Paulo na estruturação do projeto”, mediante a realização de visitas técnicas e reuniões individualizadas com agentes privados interessados.

De acordo com o site do programa de parcerias público-privadas do Governo Estadual, já ocorreram duas rodadas de reuniões com interessados para tratar das linhas 8 e 9.
O estado deve utilizar as informações nelas coletadas, e em eventuais outras, para redigir e publicar o edital de concessão do sistema. Antes, devem ocorrer as audiências públicas exigidas pela lei de licitações. A previsão é de que o novo operador assuma os serviços até setembro deste ano.

Concessão conjunta

A possibilidade de inclusão da linha de passageiros até Sorocaba no edital das linhas 8 e 9 da CPTM é um fato novo que antecede a publicação do edital de concessão das linhas diamante e esmeralda do trem metropolitano. Caso se confirme, é o mesmo modelo acertado para a viabilização do TIC entre São Paulo e Campinas.

Naquele caso, os estudos apontam para a concessão conjunta do novo serviço de passageiros à linha 7 – rubi da CPTM, que hoje liga São Paulo a Jundiaí com conexão em Francisco Morato. Isso requereu entendimentos entre o governo do estado, responsável pela CPTM, a união, proprietária da ferrovia entre Jundiaí e campinas, e as concessionárias de carga MRS logística e rumo, além da agência nacional de transportes terrestres (ANTT).

A assessoria de imprensa da CPTM foi consultada para confirmar e detalhar a informação prestada pelo titular da secretaria de transportes metropolitanos, mas não retornou até o fechamento da edição.

Projeto foi apresentado em 2012 e já teve diversas versões

Desde a primeira apresentação do projeto do trem intercidades (TIC) entre São Paulo e Sorocaba pela CPTM, em 2012, já se previu diferentes cenários para a sua viabilização: desde a construção de uma ferrovia nova entre as duas cidades até o aproveitamento de parte da linha hoje utilizada pelos trens de carga da rumo entre Mairinque e Sorocaba – e que está abandonado entre Itapevi e Mairinque, onde parte dos trilhos foi roubada.

Em 2013, a CPTM realizou uma audiência pública em Sorocaba para detalhar o futuro novo serviço, à época projetado para ter como destino final a estação Água Branca, na zona oeste da capital. A nova ferrovia seria construída margeando as proximidades das rodovias Raposo Tavares (sp-270) e castelo branco (sp-280), com extensão de 87,65 km. Os trens, a uma velocidade média de 160 km/h, seriam capazes de cumprir o trajeto em 51 minutos de viagem, com partidas a cada 15 minutos, e quatro estações: Sorocaba, Brigadeiro Tobias, São Roque e São Paulo.

Entretanto, após 2014 o projeto perdeu prioridade dentro da rede de trens de passageiros que a CPTM previa instalar a partir da capital, com destinos a campinas, São José dos Campos e Santos. Conforme um estudo de demanda de passageiros/dia realizado em 2013, a rota para Sorocaba seria a que menos passageiros teria: a estimativa era de 22 mil passageiros a serem transportados em 2020, três vezes menos que a demanda calculada para campinas.

Falta de manutenção da linha férrea em Sorocaba

A prefeitura de Sorocaba informou que fiscalizou e está notificando os proprietários de áreas particulares para providenciarem a limpeza dos locais. O setor de fiscalização da secretaria de segurança urbana (SESU), responsável por esse trabalho, multou em mais de R$ 70 mil concessionária Rumo pela falta de manutenção e limpeza na área férrea da cidade.

Em nota, o executivo informou que já foram lavrados 10 autos de multa no valor de R$ 7.359,77 cada, totalizando R$ 73.597,70 para empresa Rumo S.A. A fiscalização informa ainda que a manutenção do local, até o momento, não está acontecendo.
Em torno de 30 dias após o recebimento de infração, a equipe da sesu retornará ao local para ver se o serviço foi realizado.

Com relação aos terrenos particulares, após a notificação, os proprietários têm prazo de 15 dias para providenciar a limpeza. A lei municipal prevê multa em dobro caso os responsáveis não cumpram com a solicitação.
A concessionária é a responsável pela linha férrea de Sorocaba (SP), incluindo a manutenção e conservação, como limpeza de detritos, capina e roçagem.

A empresa Rumo, que é responsável pela manutenção das linhas de trens em Sorocaba. Em nota, disse que em novembro foi feita a limpeza de todos os trechos que passam as linhas e que os locais devem entrar em um novo cronograma de limpeza e roçagem do mato. Já a secretaria estadual de transporte metropolitanos, disse que o trem intercidades é uma das prioridades do governador João Dória e o edital será publicado ainda neste ano.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre em contato!